segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

O nome

Tem gente que tem uma capacidade enorme de conversar com pessoas desconhecidas. Não me considero uma delas. Mas, conheci uma senhora nesta última viagem que é uma destas pessoas. Durante as duas horas que conversamos, conheci esta mulher. Sei de sua família, de sua profissão, de suas aventuras da época em que era jovem e até da vizinhança onde mora.
Muito simpática ela. Também contei um pouco sobre mim. Afinal, gosto da conversa, só não sou boa em puxar assunto.
Começamos a conversar assim que ela sentou ao meu lado no ônibus. Ela estava feliz por ter conseguido um lugar naquele ônibus, já que a passagem que ela tinha era pra mais tarde. Falamos sobre nossos planos para a virada do ano e, um assunto puxa o outro, dali a pouco já sentia como se a conhecesse por um bom tempo.
Depois de umas duas horas, a conversa parou. Minha cabeça doía e ela procurou dormir um pouco.
Chegamos à rodoviária de Pinhal. Eu seguiria mais um pouco e ela desceu. Antes, me desejou um feliz Ano-Novo e eu a ela e à filha dela.
Uma garota sentou no lugar vago ao meu lado e conversamos um pouco, mas só algumas palavras. Foi ela quem puxou assunto também.
Fico imaginando que qualquer dia, quando estiver caminhando na rua, vou olhar ao redor e pensar: "Por aqui mora a... Poxa! Nem perguntei o nome dela." Mas, quem sabe nem é tão importante assim.

4 comentários:

aline disse...

a dolores!

..: Guilherme Kamui :.. disse...

essas coisas são legais.

mas quando acontecem nunca lembro de perguntarem se teem msn's ou coisas do tipo.

:)

Josias disse...

:))

e quando eu pergunto o nome, depois acabo me esquecendo...

Camila/mana disse...

Bah, direto acontece pra mim! (De não perguntar o nome e saber de toda a vida da pessoa)