segunda-feira, 2 de maio de 2011

Da vez que eu entendi a diferença entre meninos e meninas

Tem um dia nas nossas vidas que descobrimos que meninos e meninas são diferentes. Deste dia eu não lembro. E tem outro dia que nós entendemos esta diferença. Isto aconteceu comigo quando eu tinha uns 14 anos (sempre meio retardada).
Foi numa aula de inglês, quando o assunto eram hábitos (não sei por quê entramos neste assunto). O professor falou que tinha coisas que só meninos faziam, como tirar tatu do nariz. Eu, que não era muito feminina, disse que eu também tirava tatu do nariz. Pronto. Um clima de desaprovação se instaurou na sala. Foi ali, naquele momento que eu entendi que meninos era diferentes de meninas. Então, eu logo remendei "depois, eu lavo as mãos". Mas, os meninos não lavam as mãos; colocam debaixo da cadeira, jogam no chão, essas coisas. E foi assim que eu entendi que meninos podem ser nojentos e meninas devem ser limpinhas.
Pensando em tudo isso, agora vejo como a diferença entre sexos é muito menos biológica e muito mais cultural; que meninas são criadas de forma diferente dos meninos e quando alguém foge ao padrão é publicamente ridicularizado. Sei, está pensando "isso é óbvio"! É claro que é. Mas, por que existe tanta diferença? Será pelos motivos mais primitivos de reprodução?
Existe muito para discutir sobre a divisão cultural dos sexos, e acho que será uma discussão sem fim.

3 comentários:

Vilmar Barros de Oliveira disse...

Realmente, a cultura dos povos, principalmente no Brasil, sempre fez-nos acreditar que meninos podem ser meio porquinhos, machos são assim.
Enquanto as meninas, sempre deveriam andar limpas e cheirosas.
Até hoje ainda se vê homens que ainda crêem que pra ser homens precisam ser grossos e mal educados.

Luana Conti disse...

Mas isso não é no Brasil não. Claro que na Europa, por exemplo, a sensibilização masculina é aparentemente mais efetiva. Mas é cultural, mundial. Essa bosta. Com o perdão da palavra. Como eu me orgulho de ter sido criada sem esses melindros, sem compêndios. Ganhava caminhão gigante do mercado e boneca. Brincava de pintar e de bolinha de gude. Usava calça de moleton e chinelo. Jogava futebol o dia todo e voltava com os pés sujos. Nunca ninguém me refreou e a única influência disso na minha vida hoje é que percebo o quão correta foi minha educação.

Movimento para a liberdade de tirar tatu do nariz disse...

Eu não jogo tatu embaixo da classe ahusauhs,
Mas sou muito diferente das meninas, acho q sou mais agressivo naturalmente,,, tipo ... gosto do filme "O Poderoso chefão" mas é pelas disputas de poder, demonstração extrema de temor e respeito com um lider carismático.. a maioria dos garotos q conheço gosta deste filme pelo mesmo motivo,
nós garotos somos uns grossos e agressivos hasuhaush
geralmente gostamos de "Kill Bill" e "Balada do Pistoleiro", mas não apenas pela genialidade de Tarantino neh, gostamos da bancadaria mesmo e dos tiros, com certeza.

não sei porquê. Claro q existem algumas garotas agressivas também, mas vc sabe q no geral é menoria neh.

EU ACHO QUE Todo mundo deveria ter o direito de tirar tatu do nariz! sendo menino ou menina : )

Josias