terça-feira, 18 de agosto de 2009

Tipo aquele lá

Com o retorno das aulas esta semana, parei para "ver" a sala de aula, as pessoas que formam as turmas. Já nos primeiros minutos, dá pra saber mais ou menos como é o professor; se ele é mais tradicional ou não, se é exigente, bem humorado, paciente ou dono da verdade.
É até divertido analisar os professores, mas, também, dá pra observar os colegas. Aliás, existem alguns tipos que estão sempre lá, de forma bem estereotipada, mas verdadeira. Sempre tem um que não cala a boca (e, confesso, às vezes eu faço este papel), tem aquele que sempre chega atrasado ou o que sai mais cedo e tem o que não está interessado. Em noite de jogo, manifestam-se os fanáticos por futebol. A gente encontra pessoas conhecidas e outros que a gente nunca viu. Tem aquele qe parece estar mais perdido que cebola em salada de frutas ou que não consegue entender nada (estes, geralmente, podem ser encontrados nas primeiras fileiras de classes). Tem os que sabem tudo e os que criticam tudo.
Parece (e é) bem clichê, mas é também verdade. Às vezes tem uns tipos diferentes ou alguém que faz mais de um papel. Claro que não é todo mundo que se enquadra em algum tipo específico, aliás, a maioria é só colega, assim, sem nada de mais. Mas, acho engraçado sempre encontrar algumas pessoas bem típicas em todas as turmas, grupos de amigos, colegas de trabalho...

7 comentários:

CarolBorne disse...

Tu tem aula na 4ª, Ruiva? Tem ensaio da formatura lá no 14, às 19h30. A gente pode tomar um H2O depois, né?
Beeeeeeijo!

Lucas Schwantes disse...

eu fico sempre quietinho na aula.
mas utilizo os personagens que colocaste para formar poesias :)

Yell. disse...

Que saudades da escola... eu era o palhaço da turma. Hoje, sou só o palhaço.

Viko disse...

eh bem isso mesmo
e o problema da faculdade é q na maioria desses "a maioria é só colega, assim, sem nada de mais"
o q me incomoda um pouco.
ta certo q é dificil não achar um conhecido nas cadeiras, mas quando nao acho, é dificil começar um contato neh, a maioria meio distante.

desses grupos o q me incomoda são os metidos a alunos exemplares. ¬¬
os reclamões de nota.
ah pára, vão fazer um semestre de engenharia q vão esquecer essa de brigar por um A. vão se matar por um C e aprender humildade
xDDD tri indignado hauahuha

Cib disse...

Guria, eu costumava fazer a mesma coisa na faculdade: ficava olhando as pessoas e me convencia de que estereótipos existem pra valer.
Beijo!

Ran Omelete disse...

A escola é como uma novela. Cada um tem um "papel". Alguns são os galãs, outras são as mocinhas. Tem também os bandidos, que merecem levar bifa na cara que nem a Yvone. E algumas são como a Melissa, que tem coragem de lascar uns catiripapos nas Yvones. Tem os Raus, isto é, os idiotas. Eu era o Tarso, o doido do colégio.

Kim Sousa disse...

Eita, confirmo...a escolar era algo bem esteriotipada e eu sempre fazia o papel do atrasado (bem que até hj, na facul, eu ainda faço...)
Adoreio o seu blog e você escreve parecido comigo...
abração...