sexta-feira, 20 de novembro de 2009

As árvores também poluem

Esse é o título de uma pequena matéria que saiu na Superinteressante de agosto. Segundo a matéria, as árvores liberam uma substância que, misturada à fumaça dos carros, vira ozônio. A descoberta foi dos cientistas dos EUA. O biólogo Mark Potosnak ainda afirma que "as pessoas não fazem ideia de como as árvores podem contribuir para a formação de ozônio". O gás protege a terra dos raios ultravioleta na famosa camada de ozônio, mas causa problemas respiratórios para os seres humanos.

Quando eu li a matéria pela primeira vez, fiquei preocupada. Poxa, sempre gostei das árvorezinhas, porque elas diminuem a poluição e etc, etc, etc. "E agora? O que faremos?"
Passados alguns dias, eu li a matéria novamente, porque tinha ficado com isto na cabeça. Foi aí que eu entendi. A forma como a revista colocou o problema é que é um problema. Desde o título da matéria até a parte gráfica que mostra desenhos de plantas em vasos pretos estampados com uma caveira. Tudo leva o leitor a "culpar" as árvores.

"Viu? As árvores não são tudo aquilo que vocês pensam. Elas são más." Foi essa minha interpretação da mensagem contida na matéria. Fiquei embasbacada! É claro que comentei com algumas pessoas quando tive a oportunidade, por tamanha indignação que me causou. Eis que um amigo me abriu os olhos para o problema (e preciso que percebam a ironia presente na frase dele, pra ficar claro): "Cidade não é lugar de árvores".

Óbvio! Como não pensei nisto antes? A cidade é lugar de carros, de "civilização", de "desenvolvimento", de tecnologia. Árvores são coisas da selva, de gente atrasada.

O final da reportagem diz assim:

Abaixo as árvores então? Potosnak propõe uma solução mais inteligente: "Em cidades cheias de carros, talvez devêssemos escolher com mais atenção as espécies que serão plantadas"

Não é um final tão infeliz. Mas, depois de ler toda a matéria, quase não se percebe este final sutil. Mesmo assim, não acredito que seja a melhor solução. Nem mesmo, uma boa solução. Penso mais é que os carros deveriam se adaptar. Não estão tentando eliminar os carros das cidades, mas concordo que temos carros demais. Por que não se investe no transporte público? Por que não se investe em tecnologias de energia limpa? Uma dica: o ouro negro.

2 comentários:

CarolBorne disse...

Sempre me lembro de uma frase que alguém postou por aí: estãoms tão preocupados em deixar um planeta melhor para os nossos filhos, que esquecemos de deixar filhos melhores para o planeta".

Acho que a coisa toda é começar a melhorar as pessoas porque a cada dia que passa, o medo que temos uns dos outros só faz aumentar. Estamos com pânico das pessoas.

O mundo é uma 'festa estranha com gente esquisita' e se não melhorarmos a nós mesmos, vai sobrar planeta pra quem?

Beijo!

aline. disse...

a culpa é dos carros, oras..
se não tivesse carros, essa substância aí nao ia ter com que se misturar.
bom feito pros seres humanos que criaram os carros soltando essa fumaça. que fizessem logo carros elétricos.

bjoooooo saudade