segunda-feira, 9 de junho de 2008

O mundo é meu: meio ambiente

Não gosto quando dizem que o homem destrói o meio ambiente. Não que não seja verdade, mas isso dá a impressão de que a humanidade é uma coisa separada do resto. Parece que a onça pintada e a jaguatirica vivem numa esfera diferente da nossa. Mas, nós moramos todos no mesmo mundo. O ser humano também faz parte da natureza. Sendo assim, quando o homem destrói o meio ambiente está prejudicando a si mesmo, não tão indiretamente quanto possa parecer.
Na escola, nos ensinam que as pessoas de antigamente desmataram imensas áreas de florestas nativas e hoje sofremos as conseqüências disto. Noto que as coisas não mudaram muito de lá pra cá. Nós continuamos desmatando e, ainda por cima, também poluímos o ar, a água e, até mesmo, a terra. Nós continuamos destruindo espécies e não pensando no futuro. Continuamos a fazer estas coisas estúpidas. E toda esta estupidez não vai afetar apenas o futuro, já sofremos com isto agora, cada vez que chove e os bueiros entopem, transbordam e arruínam casas e pessoas, ou cada vez que saímos nas ruas e adquirimos problemas respiratórios gratuitamente causados pela poluição.
Não sou contra usar elementos da natureza para nosso benefício, mas temos que lembrar que nada desaparece, as coisas se transformam. O plástico usado na sacola do mercado, por exemplo, não some só porque o colocamos o lixo pra fora, ele continua no mundo. Não existe lado de fora do mundo. Tudo que está aqui, aqui fica. São toneladas de lixo que se produz todo dia. E isto tudo fica convivendo conosco.
Porém, se tudo se transforma, podemos tirar proveito disto. Quer dizer que tudo pode ser reaproveitado, basta encontrar a melhor forma de fazer isto. A reciclagem é um ótimo exemplo de reaproveitamento. Também, podemos reaproveitar de outras formas. Podemos utilizar garrafas plásticas, caixas de papelão, latas de bebidas para construir coisas novas, é só usar a imaginação. Afinal, tem gente que vive disto. Tem os que vivem de catar papel, plástico, lata, vidro e vender para a reciclagem.
Tem os que “fazem a sua parte” separando o lixo em casa, economizando água, desligando as luzes, usando menos plástico. Só que a “minha parte” não se resume a isto. Acredito que temos o dever de esclarecer as pessoas sobre estas coisas. Existe gente que não tem esta consciência ambiental. Nós precisamos ir até elas de alguma forma e ensiná-las.
Além das pessoas que não sabem, há os que sabem e não praticam. Sempre me pareceu que isto acontece mais nas classes altas da sociedade. São pessoas que não se preocupam tanto em reaproveitar as coisas, pelo simples fato de que não precisam. Se algo estraga ou se quiserem alguma coisa nova, eles podem comprar. Não quer dizer que todos são assim, até mesmo porque estas pessoas geralmente são mais esclarecidas.
Isto nos mostra que reaproveitamento, reciclagem e cuidado com o meio ambiente é uma forma de economizar. Quando fechamos a torneira enquanto escovamos os dentes ou em momentos durante o banho, economizamos água. Quando apagamos as luzes durante o dia ou quando não há ninguém no cômodo, economizamos energia elétrica. São coisas pequenas, mas que no final do mês fazem uma diferença considerável no bolso.
No final, todo mundo sai ganhando. Se o jeitinho brasileiro é tirar proveito onde for possível, não temos desculpas pra não cuidar do nosso mundo.
O mundo é meu, e eu sou responsável por ele.

Um comentário:

natcaha disse...

gostei. é isso aí. tah dizendo tudo o que eu preciso e to penando para fazer meu trabalho.

mas eh isso. um dia consigo ser q nem vc. minha ídola.